PERGUNTAS FREQUENTES

Aqui você consegue eliminar as suas dúvidas

 

As mais procuradas:

Alguns, sim. Os antibióticos e os antiinflamatórios, por exemplo, interferem nos testes de coagulação do sangue, normalmente solicitados em pré-operatórios. Portanto, quaisquer que sejam os remédios que esteja tomando, avise o atendente antes do exame. Caso um deles interfira, você terá que conversar com o seu médico sobre a possibilidade de suspendê-lo por alguns dias. Se a interrupção não for possível, esse dado terá que ser levado em conta na avaliação do resultado.
Com certeza. Aspirina é o nome popular do ácido acetilsalicílico. Ela está presente em muitos analgésicos e antitérmicos, tais como AAS, Buferin, Doril, Melhoral, Aspirina Forte, Cibalena, Doloxene-A e Aspirina C. Mas também em antiácidos (Alka-Seltzer e Engov), onde está associada a outras substâncias farmacológicas. Por isso, guarde bem: todos os remédios com ácido acetilsalicílico interferem nos exames de coagulação do sangue. Em altas doses, podem diminuir os valores totais de tiroxina ou T4, um dos hormônios da tiróide.
O primeiro jato de urina traz células e secreção que podem estar presentes na uretra, principalmente se existir um processo inflamatório e/ou infeccioso chamado uretrite. Quando se está preocupado com uma possível infecção urinária, é importante que o material examinado não seja "contaminado" com o que estiver na uretra. Daí a necessidade de desprezar o primeiro jato e coletar o jato médio, ou seja, uma urina que representa bem o material que está na bexiga.
Claro. Alguns exames, aliás, são solicitados exatamente porque a pessoa está com febre. A intenção é verificar se alguma infecção é a responsável. Porém, em algumas circunstâncias, a doença responsável pela febre pode interferir nos exames destinados a avaliar aspectos metabólicos e imunológicos. Por cautela, consequentemente, consulte o seu médico ou o laboratório antes de fazer o exame.
Em geral, causa apenas um leve incômodo, pois o procedimento é muito rápido. Isso varia de acordo com a sensibilidade de cada pessoa.
Nem todos os exames necessitam de jejum, entretanto, é recomendável, em grande parte dos exames, pelo menos 4 horas de jejum para que não haja interferência na análise. É possível que alguns exames necessitem de 8 horas de jejum e também 12 horas como no caso da dosagem de triglicerídeos e frações do colesterol. Em casos como o exame de hemograma, não há necessidade de jejum, por isso, sempre verifique com o laboratório a necessidade de jejum.
Sim, principalmente na dosagem de analitos envolvidos com a ingestão de alimentos como triglicerídeos, glicose, colesterol total e suas frações. Caso não haja o jejum adequado, estes resultados podem se mostrar falsamente elevados ou baixos, dependendo da situação. O ideal é não modificar a sua alimentação e realizar o exame com o jejum adequado, para refletir melhor a sua fisiologia para interpretação médica.
Atividade física intensa pode interferir em alguns exames, o ideal é coletar exames de sangue em condições bem definidas, como em condição basal. Eventualmente os exames podem ser solicitados após atividade física, estes, terão valores de referência próprios para este fim.
Sim, em níveis variáveis dependendo da quantidade consumida. Os exames que mais sofrem interferência são Triglicerídeos, Colesterol, e Gama GT. O ideal é, antes da coleta, ficar pelo menos três dias sem ingerir nenhuma bebida alcoólica.
É possível, mas existem algumas exceções como cortisol basal, ferro, ACTH e TSH, pois podem variar durante o dia. Dependendo da requisição médica, a coleta pode ser solicitada em horários variados.

Fique mais perto

Newsletter